quarta-feira, 4 de março de 2015



Cinquenta Tons de Cinza – O Filme

Renata Margaria  – Coluna Estante   
Exclusivo pra o Vem Bonita 

Bom, vamos lá: Todo mundo já viu, leu ou ouviu alguma critica a respeito do filme. Existem duas vertentes que tem que ser levada em consideração:  as pessoas que foram ao cinema e leram o livro e as que não leram.
Minhas considerações são fundamentadas no que eu li dos livros, me aprofundei em grupos de discussão, li matérias de cunho psicológico a respeito do comportamento dos personagens, a biografia de Jamie Dornan e claro, o mais importante à opinião dos meus amigos homens que foram assistir.
Primeiro existe a necessidade de se fazer  entender que o filme é um drama, não se trata de um trailer erótico com tendências masoquistas(como eu já vi essa descrição), baseado em uma trilogia, portanto esse filme faz menção ao primeiro livro.
Já é de conhecimento publico que poucos livros, conseguem a adaptação fiel para as telas do cinema e E.L. James, a autora, tentou escalar um time de primeira linha para que qualquer tipo de erro fosse minimizado. Mas nada tem como ser pequeno quando o livro vende mais de 100 milhões de cópias em todo o mundo.
A interpretação de texto é livre e democrática, mas o filme acaba colocando “limites” no imaginário. Cada leitora imaginou o Sr Gray , Anastasia e todos os outros personagens a sua maneira. O cinema dá a cara aos personagens, às vezes agradando às vezes decepcionando. O filme já gerou polemica desde a escolha do elenco(o primeiro escolhido para ser o protagonista desistiu, pois não aguentou a rejeição dos grupos fanáticos pelo livro, pois “não se encaixava”, de acordo com os protestos)
Vamos aos fatos: O filme para quem leu foi uma elucidação rápida e bem montada. Lógico que não há meios de fazer cada passagem e cada cena fielmente ao livro, mas foi muito bem adaptado. Os personagens e as cenas foram muito bem feitos, não dá pra ficar procurando defeito aqui e ali. É um filme muito bonito de se ver, mesmo incluindo as cenas mais “quentes” que foram montadas com uma classe que raramente hoje em dia se apresenta nos filmes. Por mais que o assunto que mais se destaque seja o sadomasoquismo, não podemos esquecer que é uma história de amor. Um amor que é capaz de transformar um homem, que aprendeu a amar pela dor. Que no desenrolar da historia ele mesmo vai explicando aos poucos o que acontece com ele. Na verdade para quem conhece a história sabe que o ápice de todo esse desenrolar são nos próximos filmes.
Acho muita hipocrisia da parte de alguns dizerem que o filme se resume a sexo. Não. Ledo engano. O filme mostra a essência dos atos que o Sr Gray tem em relação ao “novo sentimento” que surge em sua vida quando ele encontra Anastasia. Num primeiro momento ele a vê apenas como mais uma, mas ele descobre que ela é A MULHER. Até os exageros que ele comete, ostentando o que ele pode oferecer a ela tornam o filme agradável de ver(e vamos lá mulherada, quem não queria um bilionário indo levar vocês para passear de helicóptero, planador e chegando de surpresa nos lugares onde você está?).
Quem não leu o livro pode até ter achado as coisas “sem pé nem cabeça”, pois o filme acaba e ai? Lógico que já é um suspense preparado para a continuação(que já esta confirmada com o mesmo elenco apesar dos boatos que Jamie teria desistido). A trilha sonora onde uma das musicas é de Beyonce é um show a parte. Toda a cenografia, fotografia e figurino valem a pena os 125 minutos de filme.
Agora a parte divertida: A opinião dos homens que viram o filme. Bom, conversei com alguns que foram assistir, mas poucos deram sua opinião sincera. Sim, pra quem acha que não vi vários homens no cinema: uns com as namoradas, outros em grupo e alguns sozinhos. A verdade é muitos foram por curiosidade pra saber se “mulher gosta mesmo de apanhar ou usar os brinquedinhos do filme e ter algumas ideias pra usar em casa”.  Outros foram ver o que tanto esse tal de “Grey” mexe com a libido das mulheres e uma pequena parte conseguiu ver a essência do filme e elogiaram muito às cenas quentes.
Enfim, é complicado expressar uma só opinião a respeito. Gosto de dizer que é o seguinte: para quem quer encarar o filme como atrativo para “apimentar” a vida a dois, fica a dica, leve seu companheiro junto ao cinema para assistir o filme e programe uma noite bem romântica depois. Para quem adora um romance vá também, cria asas para sonhar que um dia dá para arrumar um homem desses(tenha fé). E para quem é apaixonada por livros como eu, vá vale a pena ver se o que você imagina aparece na tela(e olha, não decepciona não). Meu conselho:  vá assistir, vale a pena.